Nosso website utiliza cookies para tornar a sua visita mais eficiente. Sem eles algumas áreas como menus, blocos ou slideshows não poderão ser exibidas.

Perfil BnA: Ute Ritter

Ute Ritter nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, já morou na Inglaterra, em várias cidades na Alemanha e hoje vive em Bonn. Sua vinda para a Alemanha ocorreu de forma um tanto inesperada:

"Vim para a Alemanha por conta de estudo, pós-graduação. Terminei o mestrado em Fortaleza e estava fazendo um curso na Casa de Cultura Alemã, quando um colega de lá viu o cartaz do DAAD - Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico - oferecendo vagas. Daí fizemos uma aposta para ver qual de nós conseguiria uma bolsa. Me candidatei e consegui a bolsa antes mesmo de ter um orientador."

Em Berlim ela fez seu doutorado na TU, em Química de Alimentos. Os primeiros anos de adaptação não foram difíceis, porque havia um grande grupo de brasileiros com quem ela e o marido (que também fazia pós-graduação em Berlim) se encontravam, para rodas de violão e cerveja nos finais de semana. "Durante a semana a Uni nos ocupava. Não dava tempo para chateação. A troca de idéias e informações era uma forma legal de superar as dores de cabeça com a burocracia e afins.", conta.

Utepédia?


A fonte de seu conhecimento é, segundo ela, a curiosidade. Quando fica curiosa, não sossega até achar uma resposta. Muitas vezes esta resposta traz outras perguntas, e assim ela acaba indo atrás de mais informações: "Talvez seja algo que aprendi na universidade. Tínhamos um professor que dizia que sem a ânsia de saber as respostas, a gente envelhecia aqui dentro da 'caixola' (cabeça). Mas eu também escuto muito os amigos e os familiares em suas diversas áreas de trabalho e lazer. A gente aprende muito ouvindo".

Pra tudo isso é preciso uma boa dose de paciência. Segundo Ute, isto vem de dentro, nasceu com ela. "Faz parte do meu ser", brinca. Por outro lado, sua profissão também lhe proporcionou o exercício desta virtude devido ao contato diário com pessoas. Mãe de três meninas, ela confessa:  "Minha fonte maior é também a que mais testa a minha paciência: minhas filhas."

A família em primeiro lugar A Gurua-Mãe


Pra quem tem o prazer de conhecer a Ute mais de perto, deixa de ver a 'WikiUtepédia' e encontra uma amiga, com jeitão de irmã maior, que não dá conselhos, mas conta suas experiências no assunto em questão. As sugestões que dá nunca são invasivas e este cuidado a gente percebe em todas as conversas.

Esquecer das horas ao conversar com a Ute é algo muito fácil de acontecer. Você começa num assunto, emenda em outro, dá a volta ao mundo falando de política, música, fotografia, e o que mais aparecer ou o tema "puxar". É sempre uma belíssima viagem.

Ela é a mãe amorosa e conseqüente, amiga e companheirona, que tanto joga Sudoku e monta quebra-cabeças com as mais velhas como vira brinquedo nas mãos da caçula, de quase três anos de idade. A família tem lugar especial e insubstituível em sua vida.

Não há tristeza ou mau-humor que resista a um bom papo com a Gurua-Mãe. Mesmo por telefone ela consegue abraçar o amigo e com seu coração enorme, sempre dá uma ligadinha depois, pra saber como ele está. E não pense que você só pode falar sobre a Teoria da Relatividade: se é pra rir, vale falar de tv, de situações engraçadas que viveu, dos deslizes com o idioma... vale tudo pra espantar o baixo astral.

Ela foi chamada pela primeira vez de Gurua-Mãe numa comunidade de Brasileiros na Alemanha do Orkut. Grávidas e mães "de primeira-viagem" costumavam fazer perguntas e mais perguntas, e acabavam "caindo de amores" por aquela pessoa tão prestativa e preocupada com suas dúvidas. E por ser mãe em dose tripla, ela certamente passou por muitas surpresas. Tanta generosidade e carinho a transformaram na gurua querida das inexperientes novas mães.

A mulher de língua azul


Em seu extinto perfil no Orkut, a imagem que a identificava se tornou a sua 'marca registrada': uma divertida foto, onde ela mostra a língua... azul. A foto despertava rapidamente a simpatia e também a curiosidade dos usuários: "O que você aprontou pra ficar com a língua azul?" Ute revela o mistério para nossos leitores:

"Foi um passeio no Opel-Zoo, em Frankfurt a.M, que me deixou com a língua azul. As meninas quiseram experimentar algodão-doce e só tinha na cor azul. Todas nós comemos do algodão-doce e ficamos com a boca toda azul. Mas eu normalmente digo que é a falta de 'sangue azul' que tornou minha língua azul".

Assim é a Utepédia, a Gurua-Mãe, a Mulher de Língua Azul, a grande amiga e quase irmã Ute Ritter: uma cidadã do mundo, que está feliz onde sua família se sente bem e segura e que faz de sua casa o seu castelo, do conhecimento uma ferramenta para facilitar a vida, dos amigos uma grande riqueza e da generosidade uma das suas maiores virtudes.

Ute pelos BNAs


Gostaria de dizer que adoro a Ute!!! Ela é super carinhosa e prestativa. Engraçado que a gente nem se conhece ao vivo, mas eu tenho um carinho enorme por ela!!
Carolina Moraes - Wüppertal - DE)

“Amigo...
É quem tentou e fez, e não tem o egoísmo de não querer compartilhar o que aprendeu.
É o achar daquilo que você nem sabia que buscava.
Amigo é pra sempre, mesmo que o sempre não exista.”
Em um trecho do texto de Marcelo Batalha encontrei as palavras exatas para expressar a minha amizade com a Ute, mais que amiga, uma companheira de verdade. Um beijo grande, minha amiga e companheira, e obrigada por tudo!

Rosemary - Barcelona - ES)

A Ute é onipresente, onisciente e onipotente!!!
(Nicole - Düsseldorf - DE)

A Ute se tornou uma pessoa muito importante no meu dia-a-dia, em momentos de festa ou nos mais chatos e aborrecidos. Uma boa amizade que foi crescendo lentamente, em doses exatas, com respeito e maturidade.
(Lia A. - Stuttgart - DE)

Caí de para-quedas no BNA, fazendo mil perguntas (que eu ainda faço!), perdida, sem saber de nada e uma pessoa que eu lembro estar sempre lá, prontamente me respondendo, era a Ute! Uma pessoa muito bacana e preocupada em ajudar os perguntadeiros de plantão, como eu.
Mari B. - Brasil)

Eficiência da net, precisão da enciclopédia Britânica e cheia de charme mineiro. Essa é nossa Ute. Trem bão, sô!
(Leticia W. - Berlin - DE)

Eu sou uma super fã da Ute, uma pessoa maravilhosa que sempre tem uma palavra amiga, uma super dica, pensa na gente quando vê algo que possa nos servir ou simplesmente completar nossa coleção. Está sempre pronta para ajudar. Infelizmente ainda não tive a oportunidade de encontrá-la pessoalmente, mas espero que seja logo. Estou curiosa para ver se a língua dela é azul mesmo.
(Adriane - Kiel - DE)

A Ute é nossa veterana de Alemanha (ao menos a mais ativa)! Especialmente pras mamães e pros doutorandos, ela esta sempre presente ajudando a "criar nossos filhos" (no meu caso é uma tese....).
(Andréa Y. - Balingen - DE)

Suas dicas são um manual de sobrevivência na selva alemã. Mesmo que não participe mais das 'comus', nem (ainda) do verdinho (por falta de tempo), não perco uma dica sua! Beijos direto da Ossilândia.
(Chris Schwarz - DE)

"Amigo não é aquele que está todos os dias ao teu lado, mas aquele que está contigo quando ninguém mais está por perto". Obrigada, Ute, por estar conosco em todos os momentos com super dicas e carinho.
(Ingrid - Rotterdam - Holanda)

Para falar da Ute acho que precisaria de umas cem páginas e ainda não seria suficiente para expressar toda a admiração e carinho que sinto por ela. A Ute é uma pessoa única, maravilhosa, com uma boa vontade imensa de ajudar as pessoas, qualidade cada vez mais rara nos dias de hoje!! Gurua-mãe, obrigada por me dar o prazer da sua companhia diária aqui no Verdinho e por compartilhar conosco as suas experiências e vivências! Te adoro, Gurua!!
(Aléxia - Erlangen - DE)

Essa mulher -que eu nem conheci de perto ainda- me lembra as montanhas da minha Minas Gerais: abraca o mundo, traz paz e nao pede nada de volta. Deus abencoe nossa Ute.
(Leticia W. - Berlin - DE)

A Ute para mim sempre será azul: de um azul límpido de mãe, de um azul turquesa que transborda sabedoria e de um azul cristalino pelo prazer de ajudar! Muito obrigada por tudo!
(Laís - Minas Gerais - BR)

A Ute nos ajudou pacas quando chegamos à Alemanha, mesmo que nunca tenhamos nos encontrado fora da "matrix". Não há pergunta que ela não responda! Soube que ela já contou até o infinito e que é capaz de dividir por zero! Obrigaden, Guruen!
(Marco Mello - São Paulo - BR)

A Gurua, nem preciso dizer o quanto você é querida e importante para todos nós aqui do fórum, né. Nós aprendemos cada dia um pouquinho mais com a tua companhia e experiência! Obrigada por ser tão prestativa, tão amiga e tão bem-humorada! Como dizemos no Brasil, você é show de bola! Beijos grandes!
(Stella - Essen - DE)

Você também pode deixar seu depoimento para a Ute, escrevendo NESTE TÓPICO DO FORUM. Em breve sua mensagem aparecerá aqui neste perfil.

Ping Pong Ping Pong com Ute



Nome: Ute Ritter.
Profissão: Farmacêutica. No momento, mãe.
Idade: 38.
Cidade onde nasceu: Belo Horizonte.
Cidade onde mora: Bonn.
Estado civil: Casada.
Filhos: Três princesas lindas.
Sua arma de sedução: Olhos e humor.
Perfume: Usava Sabatini, uso raramente.
Homem bonito: Meu marido.
Mulher bonita: Minha mãe.
Se pudesse eu iria para: Praia.
Com: Minha família.
Deixaria numa ilha deserta: Políticos em geral.
Escritor: Vários, entre eles: Monteiro Lobato, Drummond, Gablé, Garcia Marques...
Cantor: Vários, entre eles: André Rieu, Phil Collins, Eric Clapton.
Cantora: Várias, entre elas: Alcione, Melissa Etherige.
Música: Forever jung (Alphaville), Bridge over trouble waters (Simon & Garfunkel).
Livro de cabeceira: o que eu estiver lendo no momento.
Alemão por alemão: Uma cultura.
Alemanha por uma brasileira em uma frase: Deixa a gente doida, às vezes.
Alemães por Ute: Gente como você e eu.
Sul ou Norte (da Alemanha): Norte.
Bonn é: Uma estação.
Não consigo viver sem... ...minha família.
Um defeito: não saber dizer não.
Griffe: Vide Bula.
Homem tem que ser: Inteligente.
Viagem dos sonhos: Bora-Bora e Nova Zelândia (de jipe).
Cidade preferida: Londres, Berlin (pela cosmopolidade), Búzios e Pipa (pela praia).
O que mais gosta: Viajar.
O que mais detesta: Idiotice, passar roupa e limpar janela.
Bebida: Água, Hefeweizen e vinho tinto seco.
Eu jamais faria: Matar alguém.
Eu adoro fazer: Rir, ler, brincar com as minhas filhas.
Se você não morasse na Alemanha, onde você viveria: Canadá.
Seu maior sonho: Já realizei: minhas filhas.
Sua melhor festa: O sorriso delas.
Sua melhor decisão: Minha família (marido e filhas).
Palavra ou expressão preferida na língua alemã: Freiheit [liberdade].
... e no Português: Liberdade.
Eu quero sempre... ...tranqüilidade, paz, saúde e alegria.

 

 



Texto: Lia A.
Revisão: Letícia W.
Fotos: Gentilmente cedidas por Ute Ritter.
Copyright: http://www.brasileiros-na-alemanha.com/portal/

Este texto só poderá ser reproduzido ou traduzido (completo ou em parte) com autorização do site Brasileiros-na-alemanha.com. A reprodução só será autorizada se forem DADOS OS DEVIDOS CRÉDITOS AO SITE E À AUTORA.

A divulgação DO LINK para este artigo está liberada.

You have no rights to post comments

Top