Nosso website utiliza cookies para tornar a sua visita mais eficiente. Sem eles algumas áreas como menus, blocos ou slideshows não poderão ser exibidas.

Guten Rutsch, Viel Glück und Frohes Neues Jahr: Os símbolos de sorte na Alemanha


Você já ganhou, presenteou ou viu em lojas de presentes aquelas cestinhas com porquinhos, joaninhas, trevos de quatro folhas e até um limpador de chaminé (!) e ferradura? Estes são tradicionais símbolos da sorte, normalmente presenteados no final e no início de cada ano, para desejar positividade e coisas boas para quem o recebe.

O trevo de quatro folhas - este deve ser o mais conhecido e significa sorte por ser algo muito difícil de ser encontrado. Alguns pesquisadores associam a simbologia do trevo de quatro folhas aos quatro elementos essenciais da Natureza: água, terra, fogo e ar. Outras teorias dizem que o trevo deve lembrar a cruz de Jesus Cristo. Entre os celtas ele pode significar também a cruz que era usada para proteção dos druídas. Seja qual for a sua origem o trevo de quatro folhas é hoje um símbolo indispensável quando se fala em "sorte".
A ferradura - outro símbolo que já conhecemos e associamos à sorte. Segundo muitos historiadores, este objeto já era considerado amuleto da sorte na Grécia antiga, por ser feito de ferro (elemento que, segundo os gregos, é capaz de proteger-nos do Mal) ou ainda porque seu formato lembraria a letra "ômega", que também traria sorte. Uma terceira razão seria a forma que lembra a Lua Crescente, associada à prosperidade e fertilidade.

Os cristãos europeus associaram-na posteriormente ao monge e arcebispo inglês Dunstan de Canterbury (924 - 988). Canterbury era músico, pintor e estudioso da metalurgia, tendo seus estudos grande relevância no aperfeiçoamento de técnicas de fabricação de sinos. Em uma antiga lenda ele teria prendido o Demônio com várias ferraduras até que ele prometesse nunca mais se aproximar delas. Assim, o uso da ferradura nas portas afastaria a entrada do Mal, porque o Demônio não se aproxima de ferraduras.

A posição da ferradura difere entre vários países: boa parte dos europeus a pendura com as pontas viradas para cima, para que possa receber toda sorte que cair sobre ela. Em outros países, como a Espanha, muitos acreditam que ela deva ser colocada virada para baixo, para distribuir a sorte pela casa.
Cogumelo vermelho com bolinhas brancas - este é um item que por si mereceria um artigo à parte. Porquê apenas o "Fliegenpilz", um cogumelo venenoso, tornou-se um talismã não se pode explicar exatamente. Um palpite é que possa ter ligação com o efeito alucinógeno provocado pelo seu veneno. Mas segundo alguns "experts" em cogumelos a ligação pode estar no fato de que encontrar um desses cogumelos seria motivo de "sorte" porque muitas vezes em sua proximidade crescem cogumelos saborosos como "Steinpilz", "Birkenpilz" ou "Rotkappe".
Os porquinhos de marzipã - Desde milênios porcos são um símbolo da força e da prosperidade. Os gregos antigos sacrificavam um porco como oferenda à deusa da fertilidade Deméter. Para os germânicos o porco era o animal sagrado dos deuses. Também no Japão o javali simboliza a força e os chineses vêm no porco até hoje um sinal de satisfação, sendo também um dos signos de seu horóscopo. Ele se tornou um símbolo de sorte provavelmente a partir da Idade Média. Na Alemanha é um dos motivos mais usados para desejar sorte, além de estar inserido no idioma em diversos provérbios populares e é bastante usado em sentido figurado em diversas situações.
Joaninha - Na Antiguidade a joaninha, por causa de sua utilidade e porque as pessoas naquela época eram muito dependente da renda de seu próprio jardim, carregava a crença popular de sempre ser um bom presságio e um símbolo de boa sorte quando aparecia sobre as plantas. Ela é, bem como o porco, um motivo muito popular em cartões postais, selos e até mesmo na própria arte. A adoração do joaninha também se reflete claramente nos nomes dados a ela. Na Alemanha a joaninha é "Marienkäfer" nome que é associado à Virgem Maria ou à Maria Madalena. Na Suécia ele é chamado "Mary Schlüsselmagd" e seus pontos representam as sete virtudes de Maria. Outros nomes para a joaninha são: "Herrgottskäfer, Gotteskäfer, Herrgottswürmchen", todos nomes ligados de alguma forma a "Deus".

Na mitologia a joaninha mais conhecida é a "joaninha de sete pontos", cujo número de pontos escuros que possui coincide com um dos números sagrados e míticos. Por esta razão, a joaninha também foi para muitos uma espécie de "oráculo". Na França, por exemplo, um homem se casará em breve se uma joaninha pousar sobre ele. Uma mulher deve colocar uma joaninha na ponta do dedo e contar os segundos até que ela voe. O total de segundos seria o número de anos que faltariam até seu casamento. Ainda na crença popular uma joaninha seria uma mensageira divina, que cura doenças e protege as crianças. Segundo a crença, dá azar espantar ou matar uma joaninha.
O limpador de chaminés - Segundo a crença popular, quem tocar naquele profissional que limpa as chaminés, em alemão "Schornsteinfeger", ou até mesmo apenas a sua vassoura, terá um bom dia, um dia de sorte - talvez até mesmo acerte na loteria! A explicação para o limpador de chaminés ser uma espécie de "mensageiro da sorte" vem da Idade Média, quando a chegada do profissional em uma aldeia tinha um significado especial e vital. O seu trabalho podia evitar incêndios de proporções inimagináveis, que poderiam destruir as casas construídas muito próximas umas das outras, bens móveis dos moradores ou mesmo tirar suas vidas. Tudo isso porque com o acúmulo da fuligem nas chaminés o fogo não ficava apenas na lareira, mas se espalhava sobre a fuligem e saía pela chaminé da casa, queimando a própria casa que a possuía como também atingindo outras casas vizinhas. Algumas cidades medievais promulgaram regulamentos para garantir que as chaminés fossem limpas regularmente. Como muitas pessoas não podiam ou não queriam limpar suas próprias chaminés, um trabalho difícil e perigoso, ficavam felizes quando o profissional passava pela aldeia para fazer este trabalho.

Algumas crenças também contavam que pela chaminé os espíritos do mal ou mesmo bruxas podiam acessar as casas através de suas chaminés. Como o limpador de chaminés era um homem corajoso que trabalhava justamente neste local, mesmo sendo assustador, ele provocava certo medo e ao mesmo tempo respeito nas pessoas mais crédulas. O fato deste profissional trabalhar coberto de cinzas e fuligem também o colocava em uma posição especial, porque muitos acreditavam que as cinzas tinham poderes mágicos e curadores.

Ainda hoje na Alemamha a limpeza da chaminé é obrigatória e a visita do "Schornsteinfeger" acontece periodicamente. E, sim, os profissionais que nos visitam costumam vestir roupas pretas, muito parecidas com as vestes tradicionais do passado.

O video abaixo (em alemão) é um trecho do programa infantil "Wissen Macht Ah!" e explica sobre este "amuleto humano" de forma divertida.


E uma "boa escorregadela" pra todos!

Guten Rutsch - É como os alemães nos desejam uma "Feliz Passagem de Ano". Segundo o Wikipedia, a origem desta saudação pode estar nos anos 1900. Uma das explicações podem encontradas nos dicionários mais antigos em sentido figurado do verbo "rutschen" como "viagem", "viajar" e os substantivos "die Rutsche" e "der Rutsch" para "a viagem" ou "dar um passeio", "passear".
Depois da passagem do Ano propriamente dita, costuma-se desejar "Frohes Neues Jahr" como o nosso já conhecido "Feliz Ano Novo".

Feliz Ano Novo pra vocês também, leitores da página!


Texto/traduções: Lia Alvs, Brasileros-na-Alemanha.com
Fontes: Stuttgarter Zeitung, Wikipedia, Bundesverband des Schornsteinfegerhandwerks, Abendblatt.de, entre outros.
Fotos: Wikimedia, Stock Fotos
Video: Programa infantil "Wissen Macht Ah!", canal WDR, Alemanha.


You have no rights to post comments

Top