Nosso website utiliza cookies para tornar a sua visita mais eficiente. Sem eles algumas áreas como menus, blocos ou slideshows não poderão ser exibidas.

Sentimento de culpa

Esse foi o caso de J. brasileiro e vivendo nos EUA há mais de três anos, este relata que sempre sentiu deste sua mudança uma imensa preocupação pelos pais idosos deixados no Brasil aos cuidados de seu irmão, ao qual não mantém boas relações, até que essa preocupação tornou-se um forte sentimento de culpa após o surgimento de um complicado problema jurídico que a família enfrentou, J. diz que pensamentos culposos e extrema auto-crítica o puniam constantemente a ponto de cometer falhas no trabalho devido ao cansaço decorrente da forte insônia que passou a sofrer.

A culpa envolve o sujeito em um self-talk onde de um lado ele é seu próprio algoz e de outro o acusado do crime que este não cometeu mas que é levado a pensar o contrário, insistentes pensamentos hipotéticos são a marca do self-talk como por exemplo: "se eu estivesse lá poderia ter evitado isso... poderia ter ajudado naquilo...". O fato a ser refletido é que não faz algum sentido nos punir por algo que nunca vamos saber se poderíamos realmente ter evitado/ajudado, tudo são hipóteses!

O sujeito que partiu, muitas vezes é levado a achar que é o causador de um abandono, frases bastante típicas frequentemente vindas de familiares/amigos como "agora que você nos deixou...", ou "se você não tivesse ido talvez..." frases como essas acabam por se acumular no inconsciente e fazer com que o sujeito realmente acabe acreditando que é uma causa de sofrimento para as pessoas que este, na verdade, quer bem. 

Não cabe julgar os autores destas frases citadas acima, sentir saudade de quem ama e se mudou para longe não é pecado, pelo contrário, é mais do que natural e saudável que a saudade seja expressa reciprocamente.

Porém, quando sentir que tal comportamento e frases de cunho parecido com estas acima vem se repetindo e que você está quase caindo na armadilha do remorso e o sofrimento diário que este pode acabar causando, chegou a hora então de deixar claro seus sentimentos reais e que a ida ao estrangeiro não tem nada a ver com abandono e sim com uma escolha que faz sentido para sua vida e que o apoio de quem esta longe é uma ferramenta vital para dar força e superar desafios diários que quem migra conhece bem.

Um bom e aberto diálogo sempre ajuda, a honestidade ao deixar claro sentimentos incômodos nesse caso é essencial, pois apazigua o coração de todas as partes envolvidas.

Afinal, se você está certo da meta escolhida, procure sempre ter coragem e faça das pessoas que o amam aliados para a paz e o bem-estar comum e seja firme para não jogar fora tudo aquilo que você já investiu.

"O único homem que está isento de erros, é aquele que não arrisca a acertar." (Albert Einstein)


Texto:
Andréia Barreto de Miranda
Psicóloga Intercultural
Member of International Association for Cross-Cultural Psychology

Copyright: Andreia Barreto de Miranda (autorização de publicação para brasileiros-na-alemanha.com)

Este texto só poderá ser reproduzido ou traduzido (completo ou em parte) com autorização da autora e do site Brasileiros-na-alemanha.com.

A divulgação DO LINK para este artigo está liberada.

Os temas e opiniões publicados nesta coluna são de responsabilidade da autora, não refletindo necessáriamente a opinião do portal Brasileiros-na-Alemanha.com


 

You have no rights to post comments

Top