Nosso website utiliza cookies para tornar a sua visita mais eficiente. Sem eles algumas áreas como menus, blocos ou slideshows não poderão ser exibidas.

O aprendizado contí­nuo de ser mãe...

Aiii meu Deussss, por que não conseguimos ser e pensar assim tão descomplicadamente como as crianças??? Logo Euzinha, tão romântica e nostálgica tendo que ouvir isto da minha própria filha. Se o papo continuasse eu poderia até duvidar quem de nós duas consegue ser  mais madura no trato com os rapazes...
Questionamento sobre Deus: podem ser deveras embaraçantes as perguntas das crianças, que não são nada infantis. Estávamos na igreja, assistindo a missa de Ramos (celebrada no domingo anterior ao da Páscoa) e ela, já em casa,  me perguntou quem era aquele homem “dormindo” na cruz e expliquei que era Jesus, filho de Deus, que teria sido morto na cruz por bandidos que não acredtiavam que fosse ele o filho de Deus. Ela, prontamente: "mas mãe onde tava Deus que deixou o filho ser morto assim? E os bandidos foram pegos e castigados??" Disse-lhe que Deus o teria salvo, pois teria levado seu espírito para o céu e que de lá ele nos protegeria... (alguém tem idéia melhor? Caso sim, repasse, pois o tema com certeza ainda não se esgostou). Não se dando  por vencida ela se indignou com a postura de Deus: “mas não é possível, como se deixa um filho morrer assim, se ele é Deus e pode resolver tudo (juro que nunca falei isto deste jeito pra ela!!), não entendo porque permitir isto! Fala mãe, você me deixaria morrer na cruz?" Não, filha, claro que nãooo, mas vamos dormir que tá tarde e num impulso desisti de rezar o “Pai-nosso” em voz alta com ela, fugindo da raia,  afinal discutir religião ja é algo periclitante, imagina então com um interlocutora tão implacável??

A propósito de religião, embora eu seja cristã convicta, preferi na escola dela, colocá-la na chamada aula humanista (Ética e Filosofia) ao invés de Religião, apostando no valor desta opção para o presente e futuro também. Aliás, vale lembrar que aqui em Berlim o debate está ferrenho pois Ética é uma disciplina obrigatória, enquanto Religião, apesar de protestos e mobilizações de pais, mestres e alguns setores religiosos, vai continuar opcional.

Mas vida de mãe não é fácil não, a gente tem que amar, cuidar, se preocupar, disciplinar, reprimir na medida justa (e quem sabe a fórmula??), ouvir geralmente de quem não tem filhos o que seria o melhor e mais adequado... (risos) e , além de tudo,  ter também humildade para aprender com  nossos rebentos e com nossos erros, todos eles cometidos quando queremos somente acertar. E o que dizer da lição ou atitude de amor maior então, que seria aprender a educá-los de modo a serem responsáveis e independentes para ganhar o mundo? Para viverem bem sem nossa presença e nossos cuidados constantes...
Me conforta ouvir e concordar com o grande poeta e compositor Gonzaguinha na canção “O que é, o que é” quando dizia: “ eu fico com a pureza da resposta das crianças, é a vida, é bonita e é bonita...“ Quanta sabedoria nestas criaturinhas!

Feliz Dia das Mães e feliz Dia dos Filhos pois em todos filhos tem algozinho de maternidade também, quando a gente,  às vezes, até esquece quem é o protetor e o protegido, o mestre e o aprendiz, o adulto ou a criança, mas sempre convencidos de que dos dois lados será sempre o amor em sua forma mais plena.

Copyright: Claudia Sampaio
Foto: Claudia Sampaio
Reprodução ou tradução: entre em contato com nosso portal.

A divulgação do LINK para este artigo está liberada.

Os temas e opiniões publicados nesta coluna são de responsabilidade da autora, não refletindo necessáriamente a opinião do portal Brasileiros-na-Alemanha.com

You have no rights to post comments

Produtos Brasileiros

Top