Nosso website utiliza cookies para tornar a sua visita mais eficiente e dar-lhe mais usabilidade. Eles são necessários para uma melhor funcionalidade do site e sem eles algumas áreas como menus, blocos ou slideshows não poderão ser exibidas.

On Screen Facebook Popup by BNA

Acompanhe e comente nossos temas diários no Facebook!
Curta, compartilhe, PARTICIPE!

Close

  1. Alemanha
  2. Entrevistas
  3. Trabalho Estudos Burocracia

Retorno difícil: Sonho da volta ao Brasil pode se tornar pesadelo

Se você mora fora do Brasil e pensa em voltar, preste atenção: o tão sonhado regresso pode se transformar em pesadelo. Denominado pelos psicólogos de “síndrome do retorno”, o fenômeno acomete muitos imigrantes e pode levar desde à sensação de falta de identidade  até a depressão.

Comuns a quem volta à terra natal, os sintomas acontecem simplesmente porque o estresse de se readaptar à antiga cultura pode ser, pela surpresa, pior que a dificuldade em se adaptar  a um país estrangeiro. Desavisado, o viajante é tomado de sentimentos como solidão, arrependimento, decepção e de não pertencimento àquela sociedade outrora tão conhecida. Como a cultura é dinâmica, não surpreende os psicólogos interculturais que o retorno mostre um cidadão e um país totalmente diferente daquele do passado. No entanto, quem toma o avião de volta geralmente ignora essa premissa.

Lembranças boas

A expectativa do retorno e da felicidade junto aos seus simplesmente esconde o fato de que depois de algum tempo, ninguém e nenhum lugar permanecem o mesmo. De acordo com Andrea Sebben, diretora da empresa de consultoria Equipe Andrea Sebben Psicologia Intercultural, a saudade colore o país natal e faz com que as lembranças boas fiquem ainda melhores. “A readaptação do retorno costuma ser mais custosa do que a da ida. Os seus horizontes se alargaram, mas quem ficou, não teve essa oportunidade. Por isso, a pessoa se sente incompreendida e sozinha no problema” , explica Andrea Sebben, que oferece serviços de Educação, Psicologia e Treinamento Intercultural.

Síndrome do Retorno

A nostalgia ao contrário – a tristeza por estar longe do país estrangeiro em detrimento da felicidade por ter voltado  – tomam lugar rápido na vida dos recém chegados. Segundo a psicóloga Sylvia Dantas, coordenadora do Núcleo de Pesquisa e Orientação Intercultural da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) reitera : “A incapacidade de readaptação gera a sensação de isolamento social. A saudade colore, mas a volta ao local que um dia foi familiar e se tornou estranho é um grande custo emocional.” Acredita-se que a Síndrome do Retorno, que os psicólogos preferem chamar de estresse de aculturação de retorno para não ter conotação de doença, possa ter sido agravada devido à crise dos países desenvolvidos nos últimos anos, fazendo um maior número brasileiros voltarem e alguns em situação financeira desfavorável.  O Ministério das Relações Exteriores reconhece o problema, mas ainda não chegou ao cerne da questão. Com o intuito de reintegrar os brasileiros, o Itamaraty lançou o Guia de Retorno ao Brasil. Distribuído nas embaixadas e disponibilizado na página de internet do Ministério, o documento traz várias dicas sobre serviços e programas de acolhimento em áreas como educação, assistência financeira, serviços de assistência médica, além de outros. O Guia, no entanto, não menciona diretamente a questão do desencontro cultural.

Quem ficou não compreende

A psicologia intercultural e os estudo de questões referente ao tema é algo muito recente, com no máximo 30 anos. De acordo com Sylvia Dantas, é preciso que a sociedade tome conhecimento dessa problemática para que os efeitos sejam minimizados e haja menos casos de sofrimento extremo. “É importante que o imigrante saiba que ele pode ter problemas para se readaptar ao Brasil. Há relatos de pessoas que dizem não entender como não conseguem se adaptar ao país que idealizaram por tantos anos. E os amigos e a família que ficaram não compreendem o problema”, explica.

Como prevenir

A depressão pode ser tratada e os efeitos da aculturação reduzidos com o tempo, mas o importante é que as pessoas sejam preparadas para trilhar um caminho internacional. Segundo a Dra. Sylvia Dantas, cada indivíduo vai lidar com essas mudanças de forma diferente. A influência da aculturação vai depender tanto de fatores internos – como cada um lidará com a experiência - quanto externos, que seria o que vai encontrar quando voltar. Mas tomar ciência de que isso é um processo natural vivenciado por todos nessa situação ajuda muito. Para prevenir os efeitos, as duas profissionais recomendam a participação em workshops específicos sobre educação intercultural, o treinamento intercultural ou até a psicoterapia, em alguns casos especiais. Para quem se interessar, o Núcleo de Atendimento  Intercultural da Unifesp oferece serviços gratuitos em atendimento e orientação individual, grupal (familiar), workshops à população e asseessoria a organizações públicas e privadas.  O trabalho na Unifesp está se estruturando para atender pela internet, ainda sem data definida.  A Equipe Andrea Sebben Consultoria oferece basicamente os mesmos serviços.

Depoimentos

• Telma Reis (carioca de Niterói)
 
“Quando vamos ao Brasil de férias, só vemos as coisas boas. Após 18 anos morando na Alemanha, decidi voltar por uma questão de doença. Na segunda semana, já percebi que ali já não era mais o meu país. Me choquei com a desorganização, com os preços e, principalmente, com a desonestidade de algumas pessoas. Quando eu reclamava do sistema, as pessoas não entendiam, porque para elas isso já é normal. A verdade é que ninguém reencontra o Brasil que deixou. Isso é um erro. Sonhamos em voltar, mas temos que nos preparar para ver um outro país, com pessoas diferentes daquelas que deixamos quando partimos. “
 
• Mariana Andrade (mineira de Belo Horizonte)
 
“Eu sofri na pele a decepção de voltar ao Brasil e me arrepender no terceiro mês. Depois de passar sete anos sofrendo de saudades da pátria, consegui convencer o meu marido suíço em tentar a vida com nossos filhos em Belo Horizonte.  Só que o retorno foi uma experiência negativa em todos os sentidos. Como meu sonho sempre foi retornar, achei que sofria de infelicidade. Não me adaptava em nenhum país. Depois de morar na Suíça, eu mudei muito e não me dei conta disso. Só fui descobrir quando comecei a me irritar com alguns aspectos da cultura brasileira. Além disso, eu tinha medo o tempo todo. A minha cidade já não era segura para os meus filhos. O fator principal, no entanto, foram os salários baixos praticados no Brasil. Infelizmente, eu já tinha ido embora e me desfeito da minha casa. O sonho colorido de terras mais quentes não durou mais que dois anos. Agora aprendi a aceitar a Suíça como o melhor lugar para nossa família.”

 


Autora: Liliana Tinoco Baeckert, swissinfo.ch

Fotos: Swissinfo

 

 

 

Comentários  

0 #38 Wilson pereira 01-08-2015 16:01
Moro NEW YORK, A16 ANOS BRAZIL, SO A PASSEIO, NOMAXIMO 5 DIAS NAO MAIS IS BACK USA
Citar | Reportar ao administrador
-1 #37 Clea 30-07-2015 03:06
Morei muitos anos na Europa e achava que era feliz lá, voltei para o Brasil e acho que sou muito mais feliz aqui, nem lembrava que o inverno aqui era tão gostoso, que a praia era tão pertinho, que o verde era tão intenso, que as pessoas eram tão solidárias e assim por diante... Penso que deveria ter voltado pra casa antes, não ter ficado tanto tempo longe... Mas por outro lado acho que o tempo fora foi super importante para formação e experiência profissional, afinal sem isso a realidade aqui é muito dura mesmo, nem todos os empregos oferecem as mesmas garantias... Essa é a principal diferença. Também se tem a ilusão de que aqui a vida vai ser mais "glamour" no retorno...
Citar | Reportar ao administrador
+2 #36 milva oliveira 28-07-2015 04:14
Pois eu Vivo em USA há 25 anos, sou muito Feliz aqui, meus filhos nasceram aqui, morar no brasil ainda naõ esta no meus plans ja fui 3 vezes a passeio e naõ me sinto segura e conto os dias Para Voltar, pra mim brasil só a para marar a saudade da familia e só..
Citar | Reportar ao administrador
0 #35 Liz Klein 25-07-2015 14:46
Lika sinto muito pelas injusticas que vc sofre na Europa. Mas nao sera nem de perto o que vc vai passar no BR. No BR o rascisto nao e mais velado, e escaldante e la ele snao tem vergonha de dizer na tua cara. Sem falar na falta de educacao so pra citar uma coisa. Cuidado, pense bem, pq talvez vc nao tenha volta (a Europa).
Citar | Reportar ao administrador
0 #34 Li ka 25-07-2015 09:42
:cry: poxa pessoal estou planejando de ir embora da Europa esse País cd vez que passa esta ficando cd vez mais racista ... estou sofrendo racismo nos ultimos 2 anos aqui estrangeiros não pode ter mais que 2 filhos que as pessoas te olhao feio e ainda vem reclamar comigo por causa dos meus filhos porque agora eu tenho 3 e estou gravida do 4 !!!!!! Me sinto muito mal aqui vivo na (Áustria)
Citar | Reportar ao administrador
+6 #33 Nubia 21-07-2015 15:18
Moro no Canadá a 28 anos amo viver aqui, eu me sinto como se tivesse nascido aqui. Qdo eu vim pra cá já foi com a intenção de criar raízes, Brasil só a passeio sempre. Amo o Canadá e a vida que construí aqui.
Citar | Reportar ao administrador
+4 #32 catia 21-07-2015 01:45
eu tenho 45 anos e moro na america ,n quero voltar mais pro brasil ,minha familia mora aqui,tenho um irmao q foi embora e se rependeu muito ,meu marido o sonho dele e voltar ,tudo q faz e p mandar pro brasil,temos uma filha de 5 anos ,,ele n demora muito tempo voltar pro brasil ,mais eu e minha filha ,nao vamos ,vou ser pai e mae pra ela ,mais e aqui nesse paiz q quero criala.
Citar | Reportar ao administrador
+3 #31 Liz Klein 19-07-2015 16:47
Nao volte Valdirene. Sei de dezenas de casos de gente que morria de saudades do BR foi pra la e hj esta "enterrado" sem condicoes de sair fora. Cuidado. Faca como eu fiz, vai la visite mate as saudades veja, passeeie e analize. nao volte de vez, Cuidado.
Citar | Reportar ao administrador
+2 #30 Clayton Ramos 19-07-2015 11:22
Gostei do artigo. Tenho amigos nesta situação e o conhecimento deste assunto vai ajudar-me.
Citar | Reportar ao administrador
+1 #29 camila 18-07-2015 00:25
morei 5 anos na europa porugal e madri voltei para brasil em 2010 mais ate hj penso em voltar,mais gostaria de morar em portugal pra sempre amo este pais..
Citar | Reportar ao administrador

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Variados...

10 melhores parques temáticos...

21 Agosto 2016
10 melhores parques temáticos na Alemanha - LEGOLAND

Para fechar com 'chave de ouro' nosso 'top 10' de parques te...

10 melhores parques temáticos...

21 Agosto 2016
10 melhores parques temáticos na Alemanha - BELANTIS

Uma viagem através dos mitos e aventuras é o que promete o p...

10 melhores parques temáticos...

21 Agosto 2016
10 melhores parques temáticos na Alemanha - HANSA PARK

Um grande parque temático à beira do mar Báltico é o Hansa-P...

10 melhores parques temáticos...

21 Agosto 2016
10 melhores parques temáticos na Alemanha - SERENGETI PARK

Para os fãs da vida selvagem o parque ideal é o Serengeti Pa...

10 melhores parques temáticos...

21 Agosto 2016
10 melhores parques temáticos na Alemanha - HEIDE PARK

Na Baixa Saxônia ainda há um destaque para os viciados em ad...

10 melhores parques temáticos...

21 Agosto 2016
10 melhores parques temáticos na Alemanha - MOVIE PARK GERMANY

Na Alemanha também existe um parque temático cujo assunto gi...

10 melhores parques temáticos...

21 Agosto 2016
10 melhores parques temáticos na Alemanha - PHANTASIALAND

Mais ao norte do país pode-se encontrar um toque de África,...

10 melhores parques temáticos...

21 Agosto 2016
10 melhores parques temáticos na Alemanha - HOLIDAY PARK

No estado da Renânia-Palatinado também existe um parque temá...

10 melhores parques temáticos...

21 Agosto 2016
10 melhores parques temáticos na Alemanha - TRIPSDRILL

No estado de Baden-Württemberg, sul da Alemanha, fica o parq...

10 melhores parques temáticos...

21 Agosto 2016
10 melhores parques temáticos na Alemanha - EUROPA PARK

O maior parque de lazer na Alemanha está localizado no sul d...

[VIDEO] ATUALIZADO: Episódios...

14 Janeiro 2016
[VIDEO] ATUALIZADO: Episódios do "Frauentausch" com participantes brasileiras

[Artigo atualizado em 15.1.2016]Episódio 444 (novo) - quinta...

1963: o ano em que o Lago de C...

12 Janeiro 2016
1963: o ano em que o Lago de Constança congelou completamente

O Lago de Constança está localizado em uma das regiões mais...

Guten Rutsch, Viel Glück und F...

31 Dezembro 2015
Guten Rutsch, Viel Glück und Frohes Neues Jahr: Os símbolos de sorte na Alemanha

Você já ganhou, presenteou ou viu em lojas de presentes aqu...

Mapa com mais de 850 Mercados...

25 Novembro 2015
Mapa com mais de 850 Mercados de Natal na Alemanha

Os Weihnachtsmärkte (Mercados de Natal) são uma tradição nat...

O Natal na caixa de sapatos...

02 Novembro 2015
O Natal na caixa de sapatos...

Como tudo começou... Você conhece a campanha "Weihnachten im...

Oktoberfest: O que diz o laço...

27 Setembro 2015
Oktoberfest: O que diz o laço do Dirndl?

O tradicional vestido utilizado na Oktoberfest e outras fes...

Oktoberfest: "O'zapft is!...

21 Setembro 2015
Oktoberfest: "O'zapft is!"  O zap... quê???

Logo após um pequeno passeio de carruagem, onde os anfitriõ...

Onde tem mais empregos na Alem...

30 Julho 2015
Onde tem mais empregos na Alemanha?

 Cerca de 523 mil novos empregos foram criados em julho [201...

Sou estrangeiro, quero trabalh...

22 Julho 2015
Sou estrangeiro, quero trabalhar na Alemanha

Eu sou estrangeiro e gostaria de trabalhar na Alemanha. Qua...

Novo passaporte brasileiro ser...

14 Julho 2015
Novo passaporte brasileiro será lançado no exterior

O Ministério das Relações Exteriores publicou em sua fanpag...